Uma Semana de Terror com o MOTELX

de João Iria
motelx

A 15ª edição do MOTELX, o Festival Internacional de Cinema de Terror de Lisboa, regressa de 7 a 13 de Setembro com uma semana inteira de sangue, suspense e serial killers femininas.

O MOTELX persiste na sua exploração da pluralidade do género de terror com uma nova seleção de longas-metragens que recordam a singularidade do horror. Exemplificado na sessão de abertura desta edição que pertence à antecipada lenda arturiana de Sir Gawain, The Green Knight (2021), protagonizado por Dev Patel e realizado pelo aclamado David Lowery e no programa especial intitulado “Fúria Assassina – Mulheres Serial Killer“.

Celebrado pela sua diversidade de cinema apresentado, entre criações independentes, a longas-metragens experimentais e os blockbusters de terror dos grandes estúdios, o festival permanece um dos mais populares pela sua apresentação única e inclusiva na arte. A edição anterior colocou foco no racismo sistémico e em 2021 a premissa está na desconstrução dos estereótipos de género com reposições do clássico de terror japonês Audition (1999) de Takashi Miike, a tragédia biográfica Monster (2003) de Patty Jenkins e a sátira negra de John Waters, Serial Mom (1994). Em competição oficial, longas-metragens como Black Medusa (2021) e Violation (2021) salientam as suas inspirações no movimento #metoo.

Na secção do Quarto Perdido é exibido uma reflecção da Guerra Colonial com O Coração das Trevas Português – A Trilogia (Inacabada) do Ultramar de Tino Navarro e Joaquim Leitão. Inferno (1999) que demonstra veteranos no tempo pós-guerra e Purgatório (2006) que decorre num quartel em África durante um bombardeamento. A atenção nestes duas longas-metragens pode atrair financiamento para o último capítulo ainda por realizar, Paraíso, em torno de jovens na véspera do seu alistamento.

Na programação podemos encontrar também o filme banido de George Romero, The Amusement Park (1973), uma recordação do talento do falecido realizador, no inicio da sua carreira, e a celebração dos 20 anos da obra-prima Spirited Away (2001) de Hayao Miyazaki, na secção Lobo Mau.

No campo das curtas-metragens foram anunciados 7 Curtas Internacionais, incluindo A Terra do Não Retorno (2020) de Patrick Mendes, vencedor de Melhor Curta Portuguesa na edição de 2009 com Sangue Frio (2009) e O Lobo Solitário (2021) de Filipe Melo, um thriller filmado num plano sequência único. A competição anual permanece com o Prémio MOTELX — Melhor Curta de Terror Portuguesa / Méliès d’Argent, apoiado pela Santa Casa de Misericórdia com um valor de 5000€, o maior atribuído a curtas-metragens em Portugal.

O habitual Warm-Up antecipou o festival de 2 a 4 de Setembro com longas-metragens clássicas e experiências artísticas fascinantes como “As Vizões do Ego — Uma Encenação Pictórica de Edgar Pêra”, que marca a primeira incursão do conhecido cineasta português na pintura, com dramatização luminotécnica de Rui Monteiro e banda sonora de Artur Cyaneto e RAPSODO, um espetáculo no Convento de São Pedro de Alcântara que se constrói a partir de histórias aterradoras contadas por atores consagrados como Maria João Luís ou Miguel Borges, envolvidas na tranquilizante música de Noiserv.

Através da parceria com a NOS Cinemas é estabelecido um dos objetivos desta edição do MOTELX. A Volta a Portugal MOTELX nos Cinemas NOS é uma iniciativa de percorrer sessões de norte a sul do país, litoral e interior, transportando o festival, os seus filmes e o cinema de terror português a uma audiência geral.

Todas as atividades do festival respeitam as recomendações da DGS. Para saberem mais podem visitar o site https://www.motelx.org/

Apoiem o cinema. Apoiem as artes. Apoiem a cultura.

0 comentário
3

Related News

Deixa Um Comentário